Reconciliação (2 Coríntios 5:14)


 1 DE JUNHO 

   Reconciliação 

Pois o amor de Cristo nos constrange.” 

 2 Coríntios 5:14 

    Muitas universidades oferecem agora doutoramentos na área da psicologia positiva. Esse campo de estudo explora os fatores que resultam numa vida abundante e alegre. Enquanto muitas pessoas pensam que realização e dinheiro trarão satisfação, ao contrário, esses psicólogos têm aprendido que existem duas variáveis mais ligadas com o desenvolvimento humano. Essas variáveis são universais, encontradas em qualquer cultura. E ambas envolvem relacionamento: 1) uma relação saudável com transcendência e 2) relação saudável com família e amigos. 

    Onde já ouvimos isso antes? Jesus ensinou-nos a amar a Deus primeiro e acima de tudo, e amar o nosso próximo como a nós próprios (Mateus 22:37-39). Seguir esses “grandes mandamentos” é essencial para relacionamentos apropriados – relacionamentos que conduzam a uma vida abundante.

     Mas no nosso mundo caído e devido a nossa natureza carnal, relacionamentos quebrados são inevitáveis. Isso significa que há a necessidade de reconciliação. Deus exemplificou a reconciliação para nós. Seu amor motivou-O a permitir que Seu Filho fosse sacrificado para que nós pudéssemos ser restaurados para um relacionamento correto com Ele (João 3:16). Sua ideia; Sua iniciativa; e Seu grande sacrifício. 

    Agora, como resgatados por Deus e herdeiros juntos com Cristo, nós somos chamados para continuar esse ministério da reconciliação. Várias passagens das Escrituras nos ensinam como, mas nós encontramos em II Coríntios 5 nossa principal motivação para a reconciliação: “o amor de Cristo nos constrange”. Dizendo de outra maneira, “o amor de Cristo não nos dá escolha”. Falhar em perseguir a reconciliação é um repúdio ao grande ato de graça e misericórdia feito por nós. Nós viramos as costas para o sacrifício de Cristo quando recusamos procurar reconciliação com os outros. 

    Paulo nos lembra da ligação crítica entre esses dois mandamentos. Ele escreve, “Por amor a Cristo lhes suplicamos: Reconciliem-se com Deus” (II Coríntios 5:20b). Mas um relacionamento correto com Deus não é possível se nós não procuramos um relacionamento correto com os outros. Jesus ensinou, “Pois se perdoarem as ofensas uns dos outros, o Pai celestial também lhes perdoará” (Mateus 6:14). E ele nos deu uma ordem prática em Mateus 5:23-24. 

    Outra vez, Paulo nos encoraja, em Colossenses 3:12-14. Assim como algumas pessoas rejeitarão a oferta de Deus para reconciliar, algumas de nossas tentativas serão rejeitadas. Mas nós devemos fazer um esforço sacrificial. “Pois o amor de Cristo nos constrange”. 

    Oração: Senhor, capacita-nos a amar e aceitar um ao outro assim como você tem nos amado e recebido, em nome de Jesus, Amem. 

    Gene Rudd 

    Traduzido por Soraya Cássia Ferreira Dias e Nicholas Green

    Revisto por Lilian Calaim